Página inicial do sítio Países Portugal

Portugal

O Programa Europeu FOOD (Fighting Obesity through Offer and Demand - Luta contra a Obesidade através da Oferta e da Procura) foi criado como projeto, em 2009, graças ao cofinanciamento da Comissão Europeia (DG SANTE).

A Edenred, como parceiro principal e entidade coordenadora, propôs aos representantes de autoridades competentes em matéria de saúde pública, nutricionistas, centros de investigação e universidades de seis países (Bélgica, República Checa, França, Itália, Espanha e Suécia) a criação de um Consórcio de parceiros.

Apesar do fim do financiamento da UE em abril de 2011, os parceiros decidiram tirar partido das ações e resultados e continuar a parceria no âmbito de um programa a longo prazo, a que Portugal aderiu em 2011.

Parceiros

Edenred

https://www.edenred.pt

A Edenred concebe e desenvolve programas de vales para empresas e autoridades públicas. O seu principal produto é o vale-refeição (ou Ticket Restaurant®), que está em vigor em todo o mundo há mais de 50 anos e é utilizado por mais de 43 milhões de pessoas, todos os dias, em 42 países.
Os vales-refeição podem ser uma rampa de lançamento para uma mudança de hábitos alimentares e de vida dos funcionários. Além disso, o projeto FOOD – que se tornou um programa a longo prazo - está em perfeita harmonia com os objetivos de responsabilidade social empresarial da Edenred, segundo os quais o acesso a uma alimentação equilibrada é uma prioridade fundamental. A Edenred é responsável pela coordenação do programa e pela disseminação das informações e dos resultados.

Direção-Geral da Saúde (DGS)

www.dgs.pt

A Direção-Geral da Saúde (DGS) regula, orienta e coordena as atividades de promoção da saúde, prevenção de doenças e definição de condições técnicas para prestação de cuidados adequados; planeia e programa a política nacional para a qualidade do sistema de saúde; assegura o desenvolvimento e implementação do Plano Nacional de Saúde; e coordena também as relações internacionais do Ministério da Saúde.

Programa Nacional para a Promoção da Alimentação Saudável (PNPAS)

http://www.alimentacaosaudavel.dgs.pt

O Programa Nacional para a Promoção da Alimentação Saudável (PNPAS), um programa prioritário da Direção-Geral da Saúde, visa melhorar o estado nutricional da população, encorajar a disponibilidade económica e física de alimentos que constituam um padrão de alimentação saudável e criar as condições para que a população valorize, desfrute e consuma os mesmos, integrando-os nas respetivas rotinas diárias. A estratégia deve permitir a disponibilização de alimentos que promovam a saúde e o bem-estar de toda a população; conseguir criar cidadãos capazes de tomar decisões informadas sobre alimentos e práticas gastronómicas saudáveis; encorajar a produção de alimentos saudáveis e, ao mesmo tempo, capazes de promover o emprego; criar um ordenamento equilibrado do território e economias locais; encorajar métodos de produção e consumo locais que reduzam o impacto no ambiente, diminuir as desigualdades na procura e acesso a alimentos que constituam um padrão de alimentação saudável e melhorar a qualificação de profissionais que possam influenciar o consumo de alimentos pela população.

Metodologia

Passo 1: Investigação e conhecimento

Os primeiros passos do programa, como o inventário dos programas e estudos existentes, não foram executados em Portugal. Em vez disso, foram utilizados dados sobre a saúde recentes da Direção-Geral da Saúde. Os parceiros deram início ao programa com a definição de recomendações nacionais específicas e a conceção de uma estratégia de comunicação direcionada para os dois grupos-alvo principais.
Os parceiros locais utilizaram os estudos elaborados pelos sete países que já integram o programa FOOD (Bélgica, República Checa, França, Itália, Eslováquia, Espanha e Suécia) para, em seguida, planearem as mensagens e as ferramentas.

Passo 2: Recomendações

Os parceiros portugueses optaram por adotar as recomendações comuns criadas pelos seis primeiros países. Estes utilizaram-nas e adicionaram recomendações que consideravam estar em falta, principalmente em relação aos hábitos alimentares locais, para enriquecer estes apoios iniciais.

Recomendações para os funcionários

  • Planear refeições antecipadamente. Comer fora de horas ou petiscar ao longo do dia promove a obesidade;
  • Introduzir pão de mistura ou trigo nos lanches;
  • Incluir produtos lacticínios nos lanches;
  • Começar sempre as refeições com sopa de legumes. Acrescentar leguminosas de vez em quando;
  • Beber água ao almoço;
  • Incluir peças de fruta na sobremesa e nos lanches;
  • Reduzir o sal, dar preferência a ervas aromáticas na confeção;
  • Temperar moderadamente a comida e as saladas com azeite;
  • Dar preferência a confeções simples. Os cozidos ou grelhados protegem os nutrientes da comida;
  • Evitar bebidas açucaradas;
  • Quando se come fora do local de trabalho é aconselhável caminhar. Com companhia, tanto melhor.

Recomendações para os restaurantes

  • Preferir os métodos de confeção como cozidos, estufados e grelhados;
  • Disponibilizar jarros com água;
  • Disponibilizar sopa de hortícolas;
  • Disponibilizar mini prato;
  • Não apresentar saleiros nas mesas, disponibilizar apenas se for pedido;
  • Disponibilizar como acompanhamentos hortícolas (cruas ou confecionados) e leguminosas;
  • Oferecer pão de mistura ou pão integral como possibilidade de escolha;
  • Disponibilizar pratos de peixe e carnes brancas;
  • Disponibilizar produtos sazonais, nacionais e sua promoção;
  • Incluir fruta fresca no "Menu do dia" em alternativa à sobremesa doce;
  • Utilizar as ervas aromáticas em substituição do sal;
  • Utilizar o azeite como gordura de base dos preparados culinários, entradas e acompanhamentos.

Critérios a respeitar para fazer parte da rede de restaurantes FOOD

No seguimento da criação das recomendações FOOD para restaurantes, foi criada uma rede de restaurantes que respeitam um determinado número de recomendações.
Em Portugal, os restaurantes devem aplicar 10 de 12 recomendações para poderem fazer parte da rede de restaurantes FOOD.

Para visualizar o mapa de toda a rede de restaurantes FOOD, clique aqui.

Passo 3: Estratégia de comunicação

Ao longo da fase de projeto e programa, foram criadas várias ferramentas de comunicação direcionadas para ambos os grupos-alvo:

Consulte Ferramentas de comunicação para funcionários

Consulte Ferramentas de comunicação para restaurantes

Passo 4: Avaliação

Desde 2012, foram lançados todos os anos questionários inspirados nos estudos de 2009-2010 realizados durante a fase de projeto, denominados barómetros FOOD, para monitorizar a evolução dos hábitos e opiniões de ambos os grupos-alvo – funcionários e restaurantes - sobre alimentação equilibrada.

Clique aqui para consultar os resultados relativos a Portugal

Passo 5: Adaptação e disseminação

Os dados recolhidos durante a avaliação permitem que os parceiros adaptem a estratégia de comunicação às necessidades e expectativas dos funcionários e dos restaurantes. Esta é uma melhoria contínua do programa, as respetivas mensagens e ferramentas de comunicação.